quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

A Catedral de Notre Dame


Além de ser uma catedral belíssima, para mim ela é particularmente apaixonante por dois motivos.

O primeiro delels eu sei que vai soar como bobo para muita gente, mas como é absolutamente verdadeiro eu tenho de contar: li tantas vezes o Corcunda de Notre Dame, famoso romance do escritor Victor Hugo, que eu precisava conhecer esse lugar.

O romance se passa na Idade Média e conta a história de Quasímodo e sua paixão por uma cigana de nome Esmeralda. Quasímodo passou toda a sua vida na catedral, após ter sido abandonado pelos pais ainda bebê por causa das suas várias deformidades. Toda a história do romance se passa dentro da Catedral e nos seus arredores, mas não vou contar mais detalhes porque acho que vale muito a pena ler o livro.

Dizem que foi escrita por Victor Hugo exatamente para chamar atenção para a importância da Notre Dame e a necessidade de preservar a catedral. Olha... não sei se era realmente essa sua intenção, mas comigo deu totalmente certo. 

O segundo se originou da minha primeira viagem a Paris. Fiquei num hotel próximo dali, no Quartier Latin, então via a Catedral sempre que saia e voltava ao hotel, duas vezes ao dia. Como preferia andar a pé que de metrô (e na época táxi nem era uma hipótese), muitas vezes descia numa estação antes apenas para andar na margem do Sena, olhando a Notre Dame. Sempre que lembro de Paris, essa cena me volta na memória...


A Catedral fica na Île de La Cité, uma pequena ilha no meio de Paris cercada pelo Rio Sena. Sua construção começou em 1163, e levou quase 200 anos para terminar, tendo sido palco de vários acontecimentos históricos como a coroação de Napoleão I como Imperador, a missa que marcou a libertação da França na II Guerra Mundial, e a cerimônia de beatificação e canonização de Joana D’Arc. 

eu e minhas três meninas, felizes da vida!
A entrada pode ser feita por uma dos três portais frontais da catedral: Portal de Santa Ana, Portal da Virgem e o Portal do Julgamento. Como podemos ver abaixo, os portais são ricamente esculpidos, cada um retratando por meio de figuras a história e vida da Virgem Maria, Jesus e de alguns santos da Igreja Católica.

detalhes do Portal do Julgamento
 

Seu interior é escuro e sóbrio, e emociona. Muita gente está rezando sentado nos bancos e, por mais que tenha turistas aqui, e tem uma quantidade absurda, o clima da catedral e o respeito pelos que estão em silêncio contaminam os demais.

Dê uma volta na Catedral, observando a nave, o altar e os vitrais, lindíssimos! São três vitrais principais, conhecidos como rosáceas por representarem as flores do Paraíso.


E, se você tiver disposição, suba os degraus para a cúpula. São 387 degraus e exige um pouco de preparo físico, mas a vista é de tirar o fôlego.



Paris é uma cidade majoritariamente plana, linda de ser vista do alto. E nessa subida para a cúpula, ganhamos ainda como brinde uma passagem pelo campanário, onde está o sino de 13 toneladas, considerados pelos especialistas um dos mais belos sinos do mundo.

Quando chegamos ao topo, temos a companhia das gárgulas, figuras estranhíssimas que decoram todo o contorno da catedral.

As gárgulas são esculturas colocadas nas saídas das calhas de telhados, com o objetivo de escoar a água das chuvas, diminuindo a sua queda e impacto sobre as ruas.

Foi amplamente usada na Idade Média. Em forma de figuras monstruosas e assustadoras, tinham como função adicional proteger a catedral e afastar os espíritos do mal.

Não sei explicar a razão (provavelmente o interesse vem de novo do livro do Victor Hugo), mas tenho um fascínio absurdo por essas figuras.



Apenas uma nota de roda-pé. O nome Notre Dame é tão conhecido que muitas vezes não fazemos associação ao seu significado em português: Nossa Senhora.

Um comentário:

  1. Lamento não ter lido, e visto tantas fotos lidas, antes...

    ResponderExcluir